Preocupação mais que justificável
Palavra do presidente
26 SET 2019
14:19

Nos anos em que fiz parte da diretoria da ACIFAS em cargos específicos, sempre acompanhei com extremada atenção as iniciativas - infelizmente escassas - voltadas para a melhoria do nível do comércio no processo de atendimento ao cliente, incluindo capacitação mais acentuada do pessoal de vendas de cada empresa.

Não raras vezes, observei o comportamento de vendedores pouco pacientes na atenção que deviam se obrigar a dar ao cliente por força do seu trabalho e alguns outros nada convincentes, sem saber responder perguntas mais apuradas sobre composição dos produtos oferecidos, objeto da curiosidade de compradores potenciais.

Certa vez, um pretendente a vaga disponível na área de vendas da minha empresa respondeu prontamente uma pergunta que fiz sobre sua experiência no ramo: "O senhor me informa sobre os produtos e o restante é comigo". Confesso que não só fiquei inicialmente inclinado a aproveitá-lo, como o fiz e não me arrependi. Foi um dos maiores craques em vendas que já conheci. Sua extrema simpatia e a argumentação que utilizava jamais permitiram que um comprador potencial saísse da loja de mãos vazias.  

A ACIFAS, neste início de nova gestão, preocupou-se muito com esse ponto essencial: Como fazer para que haja amplo avanço de performance do pessoal de vendas das empresas filiadas?.  E já agora, em outubro, promove um curso de capacitação sobre atendimento ao cliente, em parceria com o SEBRAE, o que certamente vai repercutir favoravelmente nas vendas ainda este ano, mesmo porque já estamos às vésperas do período natalino. 

E não para por aí: Dia 28 do mesmo mês - outubro -  direcionado aos empresários, vamos promover palestra sobre a utilização necessária das REDES SOCIAIS, acompanhando a evolução tecnológica que vivenciamos nos dias de hoje. Para isso, queremos e precisamos de apoio, para devolver mais apoio ainda ao empresariado. A entidade está mostrando porque existe. E na situação em que um depende do outro e o outro depende do um, não há como sucumbir. É só dar as mãos. Afinal,  fracasso jamais pode fazer parte do nosso vocabulário. 

OMAR CASTRO
Presidente